• mostra newsroom
  • Cintesis encontro
  • digiscope
  • CINTESIS leva inovação à Mostra da U.Porto + info
  • CINTESIS realizou Encontro com uma centena de investigadores + info
  • Inovação da U.Porto rastreia doenças cardíacas em crianças brasileiras - DigiScope - + info

Seminário de Cuidados Paliativos com a marca CINTESIS

Seminario de Cuidados Paliativos

É já nos próximos dias 26 e 27 de maio que se realiza o 1º Seminário Nacional de Cuidados Paliativos – Ética, Prática e Educação, numa organização conjunta do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, da Associação Portuguesa de Bioética e da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. O evento irá decorrer no CIM – Centro de Investigação Médica da FMUP.

Rui Nunes, investigador principal do Grupo ManEthics do CINTESIS e diretor mundial do Departamento de Investigação da Cátedra de Bióetica da UNESCO, é o grande mentor deste Seminário, que se realiza pela primeira vez em Portugal.

Na sessão de abertura, marcada para as 15 horas do dia 26 de maio, sexta-feira, estarão presentes diversas individualidades, designadamente Altamiro da Costa Pereira, coordenador do CINTESIS e diretor do MEDCIDS e Carlos Vital, Presidente do Conselho Federal de Medicina do Brasil.

A Conferência inaugural, intitulada “Ética em Cuidados Paliativos Pediátricos”, estará a cargo de Christina Ullrich da Universidade de Harvard. A moderação estará a cargo de Francisca Rêgo. Segue-se o primeiro painel do Seminário, no qual serão discutidas as “Controvérsias em

Cuidados Paliativos” em temas como a sedação paliativa, a distanásia e a ortotanásia e as boas práticas em cuidados paliativos. Paula Silva, Paulo Maia e Anabela Morais serão os intervenientes, cabendo a Miguel Ricou moderar o debate.

No dia 27 de maio, a partir das 9 horas, Sofia Nunes e Sílvia Caldeira irão falar sobre qualidade de vida em doentes terminais e sobre vulnerabilidade, sofrimento e espiritualidade, respetivamente. Judite Sá será a moderadora deste segundo painel.

O último painel irá incidir sobre o ensino e a formação pré-graduada e pós-graduada, contando, para isso, com as intervenções de Telmo Baptista e Eduardo Carqueja e com a moderação de Ivone Duarte.

Após um período de discussão, caberá a José Gallo, diretor do Conselho Federal de Medicina do Brasil, encerrar o Seminário, havendo ainda tempo para a entrega de um prémio ao melhor póster.

A entrada é livre.

Mais informações: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Estudo CINTESIS: Atividade física e supervisão nutricional em jardins de infância associadas a redução do excesso de peso e obesidade

Júlio Rocha

A combinação do livre acesso a aulas de educação física e da supervisão da alimentação por nutricionistas está associada a uma menor prevalência de excesso de peso e obesidade em crianças entre os 2 e os 6 anos de idade, revela um estudo da autoria de Júlio Rocha, investigador do CINTESIS, publicado na Acta Portuguesa de Nutrição.

Entre as 129 crianças que compõem a amostra, a prevalência de excesso de peso e de obesidade é de 11,7% (7,8% e 3,9%, respetivamente), bastante “abaixo do expectável comparando com estudos similares”. Na Grécia, por exemplo, essa percentagem atinge os 32,6%.

Todas as crianças participantes frequentam o mesmo jardim de infância, no Centro de Apoio Social de Mozelos (CASM), onde o padrão alimentar é implementado e monitorizado por um nutricionista e a atividade física é oferecida gratuitamente, duas vezes por semana, e supervisionada por um professor de educação física.

De acordo com o investigador do CINTESIS, verificou-se também que a prevalência de excesso de peso e obesidade nas crianças duplica quando ambos os progenitores têm peso a mais, comprovando a influência de um ambiente obesogénico na saúde das crianças. Isto apesar de os pais apresentarem uma prevalência de excesso de peso e obesidade (57,8%) similar à da população geral portuguesa.

O estudo alerta ainda para uma prevalência significativamente maior de excesso de peso e obesidade nas crianças com qualquer tipo de doença, o que pode estar associado a uma maior proteção dos pais, sobretudo na limitação de uma atividade física mais intensa.

Segundo Júlio Rocha, este artigo vem sustentar a ideia de que os programas de prevenção e redução do excesso de peso e obesidade infantil devem começar o mais precocemente possível, integrando a componente do exercício físico gratuito e o controlo da alimentação por parte de nutricionistas.

De facto, afirma, “o foco na idade pré-escolar é crucial, tendo em conta que as taxas de remissão são mais elevadas nestas idades, quando se compara com a idade escolar”.

No futuro, o investigador espera que outros estudos possam vir a corroborar os benefícios da implementação deste tipo de estratégia no combate à obesidade infantil, de modo que se tornem extensíveis às crianças de outros jardins de infância do nosso país. 

MEDIDA já é Spin-off U.Porto

medida flyer facebook

A MEDIDA já é Spin-off U.Porto! Esta é a quinta empresa criada no âmbito do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, Unidade de I&D da Universidade do Porto, a receber esta chancela.

Acrónimo de Medicina, Educação, Investigação, Desenvolvimento e Avaliação, a MEDIDA é uma empresa da área da saúde criada em 2007 e liderada por João Fonseca, médico imunoalergologista e investigador do CINTESIS.

A atividade da MEDIDA consiste no desenvolvimento, avaliação e distribuição de produtos e serviços para pessoas com doenças crónicas, especialmente para doentes respiratórios ou alérgicos. O seu objetivo é aumentar a qualidade dos cuidados de saúde através da investigação, desenvolvimento e inovação, bem como melhorar a qualidade de vida dos doentes através de soluções e serviços de saúde personalizados.

Entre os seus principais projetos contam-se uma aplicação móvel para aumentar a adesão à terapêutica inalada da asma (INSPIRERS), os questionários CARAT (Controlo of Allergic Rhinitis and Asthma Test) e CARATKIDS, usados em mais de 20 línguas, um sistema de suporte à decisão clínica através de uma aplicação web interativa que auxilia a interpretação dos valores de óxido nítrico exalado (FENO) e conteúdos educativos para plataformas web.

Além da MEDIDA, outras quatro empresas nascidas no CINTESIS já receberam a chancela de Spin-off U.Porto, atribuída pela U.Porto Inovação (UPIN) às empresas criadas com o objetivo de explorar novos produtos e serviços de base tecnológica e inovadora que nasceram a partir de ideias ou processos do I&D gerados da U.Porto. São elas a Healthy Systems, a VirtualCare, a FASTinov e a IS4Health.

Investigadores do CINTESIS em Meeting do NanoSTIMA

sessão posteres

O NanoSTIMA 3.5 Meeting juntou dezenas de investigadores do NanoSTIMA (Macro-to-Nano Human Sensing: Towards Integrated Multimodal Health Monitoring and Analytics), projeto europeu coordenado pelo INESC TEC e desenvolvido em colaboração com o CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, o Instituto de Telecomunicações (IT) o CIDESD - Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro).

Um dos principais objetivos desta reunião foi aproximar, pela primeira vez, pessoas das linhas de investigação 3 e 4 do NanoSTIMA, permitindo-lhes que apresentassem os seus projetos e trocassem ideias, de modo a potenciar futuras colaborações.

A linha de investigação 4, coordenada por Pedro Rodrigues, investigador do CINTESIS, está sobretudo vocacionada para “o desenvolvimento de métodos de análise de dados que tirem partido de novas infraestruturas, de modo a gerar novo conhecimento”.

Quanto à linha de investigação 3, visa questões como o armazenamento, o transporte, o acesso, a segurança e a privacidade dos dados. “Serve tanto para fornecer dados a outras linhas, como para as outras linhas colocarem os dados recolhidos”, explicou, na ocasião, o coordenador da linha e investigador do IT, Pedro Brandão.

De acordo com Pedro Rodrigues, o grande desafio é “fazer a ponte entre novas tecnologias, novas infraestruturas e novos métodos de análise” e “integrar dados de diversas fontes”, tirando partido da investigação que está a ser desenvolvida em diferentes instituições.

Em comum existe a vontade de desenvolver novos métodos que venham melhorar as decisões em saúde, mas também aprofundar a análise de bases de dados administrativas. Entre as 12 comunicações orais e 14 pósteres apresentados estavam, por exemplo, trabalhos sobre a transferência de dados pessoais de saúde (como sinais vitais), dados de urgências ou internamentos hospitalares e novas abordagens para a melhoria do diagnóstico da apneia do sono e do prognóstico da doença de Crohn.

Para Pedro Rodrigues, “ficou claro que temos cada vez mais dados a serem produzidos, mas que isso não resolve problemas que já tínhamos com bases de dados pequenas. Além disso, continua a haver uma grande controvérsia sobre como podemos usar dados que foram recolhidos para outro propósito, incluindo a questão da confiança das pessoas (doentes, instituições e os próprios profissionais de saúde) em cederem os dados”.

Além da Investigação de base, o projeto NanoSTIMA visa também “potenciar o emprego científico e estimular a investigação com recurso a novos investigadores, muitos dos quais com ideias disruptivas”.

Howard White fala sobre revisões sistemáticas no CINTESIS

white

Howard White, diretor executivo da Campbell Collaboration, estará no CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, no próximo dia 15 de maio, a partir das 11:30h, para dar uma Conferência intitulada “Better evidence for a better world: systematic review and the promotion of social and economic change through evidence-based policy and practice”.

Na parte da tarde, entre as 14:30h e as 16:30h, o especialista dará um Workshop destinado a pessoas interessadas em desenvolver revisões sistemáticas através da Campbell Collaboration. Ambas as sessões irão decorrer na Biblioteca do CINTESIS, situada no CIM – Centro de Investigação Médica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

O objetivo é discutir o potencial das revisões sistemáticas relativas às intervenções no âmbito das ciências comportamentais e sociais. A missão da Campbell Collaboration é melhorar a base de evidência disponível para os processos de tomada de decisão política, mas também de decisão interventiva.
Atualmente esta instituição trabalha em quatro áreas de investigação fundamentais, designadamente Crime e Justiça, Educação, Desenvolvimento Internacional e Bem-estar Social.

Em ambos os casos, a entrada é gratuita, mas solicita-se inscrição prévia através do seguinte link:

https://goo.gl/cSbg0N

Investigadores do CINTESIS destacaram-se em Encontro de Psicologia Experimental

psicologia

Na foto (da esquerda para a direita): Diana João, Armando Cardoso, Mariana Carrito, Pedro Bem-Haja, Marta Rocha, Isabel Santos, Sandra Soares e Josefa Pandeirada

O uso da Realidade Virtual no tratamento de fobias, a identificação de um neuromarcador de falsos positivos em testemunhos oculares, o papel do sistema motor na memória ou o efeito do ambiente na performance cognitiva de adultos e idosos foram alguns dos temas apresentados por investigadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde/Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro no 12º Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Psicologia Experimental.

O evento, que decorreu nos dias 5 e 6 de maio, na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, contou com a participação de vários psicólogos que se encontram atualmente a desenvolver os seus trabalhos de investigação no âmbito do Grupo PsychoLive, do CINTESIS.

Além da apresentação do estudo “Perception of sexual dimorphism in human faces”, de Mariana Carrito, Pedro Bem-Haja, Carlos Silva e Isabel Santos, os investigadores desta Unidade de I&D somaram cerca de uma dezena de pósteres em áreas tão distintas como o reconhecimento de suspeitos em contexto judicial, as diferenças de género no processamento de estímulos ou o treino de atletas de alta competição.

Entre os pósteres apresentados encontrava-se, por exemplo, um trabalho intitulado “Picking up an inoccent at 10 ms: The P100 component as a neuromarker of false positives in eyewitness testimony”, assinado por Isabel Santos, Pedro Bem-Haja, Mariana Carrito, Beatriz Oliveira e Carlos Silva. O objetivo é reduzir os erros cometidos por testemunhas oculares através da utilização de um neuromarcador que permite detetar “falsos positivos”. O mesmo grupo assina também o póster “It´s time to track the thief: the effect of synchrony effect in dwell time on criminal faces during a theft video”.

Sandra Soares foi outra das investigadoras do CINTESIS presentes no evento, tendo mostrado alguns dos resultados dos estudos que vem desenvolvendo, nomeadamente sobre o uso do Sistema de Realidade Aumentada na avaliação psicofisiológica do medo e sobre a exposição à Realidade Virtual no tratamento de fobias específicas, como a fobia a aranhas. Entre outros, assinou também, juntamente com Marta Rocha, um póster que comprova as diferenças entre homens e mulheres no processamento de estímulos românticos ou sexualmente explícitos.

Por sua vez, Josefa Pandeirada e Pedro Rodrigues, também eles investigadores do CINTESIS, assinam em conjunto um trabalho intitulado “Staying focused: cognitive impaired by the environment in elderly but not in young-adults”, que aponta para o efeito do ambiente visual na performance cognitiva dos idosos.

“To do or not to do: The role of the motor system in immediate memory for objects” e “Do distractors in the surrounding environment influence cognitive performance? A study with young adults” são mais alguns exemplos de pósteres apresentados por investigadores do CINTESIS durante este evento.

CINTESIS News - Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba as nossas notícias diretamente no seu email.

 

Siga-nos

 facebook 001  Linkedin 001  RSS 001

 

 

CINTESIS new

FMUP   ICBAS  UA   NOVA   UALG   UALG   ISEP  ESEP

FCT  QREN    UE

© CINTESIS - Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde
Faculdade de Medicina da Universidade do Porto